Pesquisa indica Montoro na frente com 40,2% dos votos válidos

Pesquisa registrada no TSE a que A Voz Regional teve acesso indica que a eleição seria vencida pelo médico Nelson Montoro. O candidato do PSD derrotaria o atual prefeito, Mauro Pascoalão (PSB), por uma diferença de 6.6% e ficaria na frente da candidata do PHS, Renata Sant’Anna (PHS), em 14%.
A pesquisa, registrada no TSE-SP sob o número SP-02035/2016, foi realizada pela Tática – Consultoria e Pesquisa LTDA-ME, registrada no Conselho Regional de Estatística (CONRE) nº 8257 e teve como contratante a mesma Tática. Segundo o estatístico responsável, Diego Henrique de Carvalho Camacho, o trabalho de campo, em Monte Aprazível e nos três distritos, foi realizado nos dias 16 e 17 de setembro, tem margem de erro máximo de 4.84% e nível de confiança de 95% ou seja, a cada 100 pesquisas semelhantes, o resultado vai se repetir 95 vezes.
A pesquisa consultou o eleitor sobre sua intenção de voto em duas situações, de forma espontânea, quando o eleitor revela seu voto sem interferência do entrevistador, e de forma estimulada, quando lhe é apresentado um disco contendo os nomes dos três candidatos. A sondagem mediu ainda a rejeição dos três candidatos.
O candidato com maior índice de rejeição é o prefeito Mauro. Dos eleitores de Monte Aprazível, 31.5%, ou 5.247 afirmaram não votar nele de “jeito nenhum”. Renata é rejeitada por 3.331, 20.3% dos eleitores e 2.052 dizem não votar em Montoro, o que representa apenas 12.5% do universo de 16.658 eleitores aptos para votar. Os eleitores que não opinaram foram 17.5% e 19,5% não têm objeção a qualquer candidato.

Os números
Na pesquisa estimulada, Montoro lidera com 32,3%, seguido por Mauro com 27% e Renata, 21. Os eleitores que opinaram por voto branco e nulo somam 3,3% e aqueles que não optaram por nenhum dos candidatos são 16.5%. Considerando apenas os votos válidos, incluindo brancos e nulos, conforme a sistemática utilizada pela Justiça eleitoral, Montoro obtém 40,2%, Mauro fica em 33,6% e Renata alcança 26,2%
Nessa simulação, os votos válidos somariam 13.908 e, em números absolutos, Montoro receberia 5.591 votos, Mauro 4.673 e Renata 3.664. A reportagem chegou ao número de votos válidos, subtraindo os 16.5% de indecisos declarados na pesquisa do número real de eleitores, 16.658.
Quando o eleitor é indagado sobre sua preferência de forma espontânea, Montoro lidera com 24,8% das intenções de votos, seguido por Mauro com 20,3% e Renata, 17%. Os brancos e nulos são 3% e 34,8% não se definiram. Considerando-se apenas as intenções de votos válidos, Montoro tem 39,9%, Mauro 32,7% e Renata 27,4%.
Nesse caso, o número de votos válidos da pesquisa tomado como base foi 10.862, resultado da subtração de 16.658 eleitores reais os 5.796 indecisos. Assim, Montoro teria 4.333 votos, seguido por Mauro com 3.551 e Renata com 2.976 votos. Nessa simulação, ressalte-se, não foram computados. como na situação anterior, os eleitores que não manifestaram seu voto, os chamados indecisos.
Pelas regras eleitorais, voto válido é todo aquele manifestado na urna pelo eleitor, portanto, na eleição real, é a soma dos atribuídos aos candidatos, mais os registrados como brancos.

Metodologia
Segundo a professora e matemática aplicada da empresa, Idalice Carvalho Figueiredo, a pesquisa aplicou 400 entrevistas, sendo 20% delas checadas para validação das informações apresentadas e a totalidade foi submetida à verificação da consistência dos dados.
“A cidade foi dividida em 7 sete setores, os mesmo utilizados pelo IBGE, e a coleta dos dados se deu por amostragem de quotas, considerando a representatividade da população em relação ao sexo, idade, faixa etária, grau de instrução e nível de renda dos eleitores estabelecidos pelo IBGE e Tribunal Superior Eleitoral”, explicou a matemática.
Os entrevistados foram divididos, de acordo com sua representação no total da população em gênero, idade, escolaridade, renda familiar e setor de moradia. Em todas as situações, Montoro tem o melhor desempenho eleitoral, exceto nos distritos que, juntos, somam menos de 900 votos.

Categorias: Cidades,Monte Aprazível,Política