A Propósito: Derrotado a prefeito em Tanabi, Valdir Uchoa vai ocupar todos os espaços possíveis

Papelada suspeita

O prefeito de Monte Aprazível, Mauro Pascoalão (PSB), não definiu ainda se vai antecipar a transição para o futuro governo. O período de transição, bastante usual, onde o governo que sai, antes da posse, abre documentos e a estrutura do governo para o governante que irá assumir. O processo facilita tomar pé da situação e da estrutura organizacional da situação fiscal e da máquina, facilitando os primeiros atos do futuro governo.

Pela entrevista que concedeu a Rádio Difusora, dá para entender que o prefeito está mentalmente confuso. Disse ele: vão pegar papel e colocar no jornal denúncia toda semana. Ao fazer comentário com esse teor, conclui-se que pode haver documentos (papel como se referiu) comprometedores.

Precedente

A transição de governo em Monte Aprazível foi proporcionada pelo ex-prefeito Wanderley SantxxAnna (PTB), sabidamente pouco afeito a ideias democráticas. O beneficiário foi o próprio Mauro que ora reluta.

A ficha caiu

Aos poucos Mauro Pascoalão se dá conta de que perdeu a eleição, coisa que ele nunca imaginou acontecer, sem que se saiba de onde tirou a ideia de que sairia vitorioso com índices de rejeição acima de 35%. Assim como se deu conta de que perdeu a eleição, Mauro percebeu que costeladas de última hora não rendem votos. No período eleitoral, foram vários os bares em que o eleitor bebia e comia sem que o dono do estabelecimento apresentasse a conta. Foi só prodigalidade dos comerciantes do setor, ambiente muito familiar ao candidato, não houve nenhuma relação com campanha eleitoral.

Gazeta

A rede municipal de ensino de Monte Aprazível emendou o feriado do dia 12 e os estudantes só voltam às aulas na segunda-feira. Mesmo em tempos de reforma do ensino proposta pelo governo federal, que considera a carga horária anual muito pequena, dobrando-a para 1.200 horas, a meninada de Monte merece mais descanso. O problema é que as creches também ficaram fechadas e mães não tiveram onde e com quem deixar suas crianças. Muitas faltaram ao serviço e terão os dias descontados. Elas se perguntam se professores e funcionários das escolas e  creches vão receber o salário cheio, mesmo trabalhando dois dias menos.

Não é bem assim

Apesar de ter apenas um vereador reeleito, Gilberto dos Santos (PDT), a Câmara de Monte Aprazível não foi tão renovada como parece. De novo, novo mesmo, apenas os vereadores Jacó Brite (PSD) e Valcenir de Abreu (PP). Os demais têm longo caminho trilhado na política. Ailto Faria (PV) já exerceu dois mandatos, João Célio outros dois, tendo já presidido a Câmara. Danilo de Souza é dirigente partidário, já presidiu dois partidos e está foi sua terceira candidatura. Donaldo Paiola tem larga experiência política, é dirigente partidário e já foi candidato a vice prefeito. Jean Winicius (PSC) é ex-vereador e dirigente partidário por longos anos e Márcio Troiano (PPS) também já foi vereador.

Todos esses currículos devem ser vistos como positivo, pois deverá ser um Legislativo de personalidade e com potencial para ser marcado pela história. Para tanto, bastam por de lado o personalismos e magoas eleitorais.

Camisa 12

Tudo indica que Tanabi terá um vereador extra-oficial, o candidato a prefeito derrotado, Valdir Uchoa (PSOL), que trocou a candidatura duvidosa por uma vaga certa na Câmara. Como Valdir persevera como um crente, irá ocupar todos os espaços possíveis.

Fogo entrecruzado

O prefeito eleito, Norair da Silveira (PSB) não terá vida fácil. Se terá Valdir nos calcanhares, terá o adversário, o ex-prefeito José Francisco (PC o B), nos tendões, e se não bastassem, o vereador Fabrício Missena (PP), reeleito e o mais votado, tem a prefeitura no seu horizonte.

Categorias: A Propósito,Artigos