Leilão rende R$ 77 mil para Santa Casa

O leilão de gado realizado no domingo passado, com renda para a Santa Casa, arrecadou líquidos R$ 77.730,00, descontadas despesas de R$ 7.330,00 e doação de R$ 10 mil para tratamento da menina Loarah Gabrielli. Segundo o provedor do hospital, João Roberto Camargo, o dinheiro será usado para complementar o pagamento do décimo terceiro salário dos funcionários que soma algo em torno de R$220 mil.

“Vamos usar o dinheiro para complementar o salário de final  do ano dos funcionários. Independentemente do leilão, o benefício seria pago de qualquer maneira, mas com ele garantido podemos pensar em investir um pouco na melhoria do atendimento, na humanização do atendimento. A situação financeira da Santa Casa é apertada, mas está sob controle, estamos trabalhando a contenção de despesas e buscando aumentar receitas, sempre pensando no bem estar dos pacientes, em melhorar a qualidade dos serviços”, esclareceu João Roberto.

No momento, a diretoria está negociando novas bases contratuais com os planos de saúde e deve convocar os prefeitos de Monte Aprazível, Nipoã, Poloni e União Paulista para discutir os contratos a partir de janeiro. “Estamos empenhados em demonstrar  para nossos parceiros que estamos vendendo serviços médicos de qualidade e para se ter qualidade o preço a ser pago tem que ser justo. A entidade não tem fins lucrativo, mas ela só consegue manter suas portas aberta se tiver uma remuneração justa. A nossa meta é fazer um bom trabalho, transparente e de qualidade, não faz sentido ter uma Santa Casa na cidade se não for para prestar bom serviços e estar a serviço da população.”

João Roberto cita a ampliação do contrato com a prefeitura de Monte para prestação de serviços médicos nos postos de saúde como decisão que, apesar de não ser de responsabilidade dela, foi tomada em nome da população “Só aceitamos o contrato para não deixar a população sem médicos nos postos de saúde, que é uma obrigação da prefeitura. O valor de R$ 110 mil será para o pagamento dos médicos e para os custos de administração dos contratos, nada sobrará para Santa Casa, mas a população será beneficiada e é esse o compromisso da nossa diretoria, o de contribuir para o bom atendimento médico da população.”

Audiência pública   

No dia 20, às 20h, no prédio da Câmara, a Santa Casa vai promover uma audiência pública de prestação de contas. “Trata-se de uma coisa inédita, nunca a Santa Casa se abriu para uma discussão pública. Vamos fazer isso porque o nosso compromisso é com a transparência. Esperamos a presença de todos, principalmente dos usuários da Santa Casa, de planos de saúde, do SUS, de políticos, de entidades, de profissionais da área para que peçam esclarecimentos, para que nos cobrem”, convocou Camargo.

Categorias: Monte Aprazível