Estudante alega ter sido prejudicado no ENEM

Guilherme de Oliveira Maset, 18 anos, candidato da prova do Enem, relatou ter se sentido constrangido durante o exame do último domingo quando fiscais teriam recebido denúncia de que ele, que possui deficiência auditiva, estaria usando um ponto eletrônico.Após denúncia de uma estudante de que estaria usando ponto, Guilherme foi interpelado por fiscais e ao retornar à prova, nervoso, teria respondido as 21 questões que restavam sem ler atentamente o enunciado das perguntas, o que prejudicou seu desempenho.

O estudante alega ter tido seu pedido de realizar a prova em sala especial, como determina as normas do ENEM, deferido, mas foi colocado em sala comum, com os demais concorrentes. Informação contestada pelo INEP, instituto responsável pela aplicação das provas. O órgão informou que o laudo apresentado pelo estudante foi reprovado”por não apresentar diagnóstico condizente com a solicitação do participante.”

O que deixou Guilherme e a família indignados foi o fato da primeira prova, realizada no dia 5, ter tratado justamente do problema de surdez. “Achei uma ironia, pois na primeira prova no domingo anterior, o tema da redação foi Desafios para a formação Educacional de Surdos no Brasil”.

Categorias: Geral