Comerciantes admitem que vendas de Natal serão ruins

Sem dinheiro, endividado e com restrição no crédito, consumidor não terá como presentear neste Natal

Outubro registrou aumento de 4,5% na inadimplência em relação a outubro do ano passado, com 61 milhões de pessoas. A inadimplência foi maior na região sudeste e entre as pessoas de 41 a 50 anos. Os setores mais atingidos foram os cartões de crédito e o comércio. A Voz ouviu alguns comerciantes para saber como avaliam um quadro desse nas vendas de Natal.

Rosa Botte, da Cergatti News, diz que a esperança e a torcida são para vendas melhores nesse Natal do que foram no Natal passado, “mas acho que deva haver uma queda nas vendas”.

O aumento da inadimplência na visão dela pode ser favorável ao comércio, pois “pessoas com restrição ao crédito só poderão consumir a vista. O detalhe é que se não tivessem restrição consumiriam mais e parcelariam as compras, por isso acredito que as vendas devam cair um pouco”, comenta.

Rosa acredita que o valor médio dos presentes deva ficar igual aos dados em 2016, cerca de R$ 100,00, “mas tudo depende de quem for o presenteado. Com namorados eles não costumam economizar, já com os demais procuram sempre por lembrancinhas – diz – mas estamos com a loja cheia de novidades para atender até os gostos mais exigentes”.

Elinéia Andreta Sinhorini, da Maceli Modas, diz que estava até entusiasmada para as vendas de Natal, “mas as vendas de novembro foram devagar e eu estou achando que teremos um Natal bem difícil também”.

Elinéia concorda com Rosa que a média de presentes deva se manter em cerca de R$ 100,00. “É difícil quem procura presente caro, só quando é para alguém mais próximo”.

Ela conta que algumas pessoas preferem comprar a vista, “mas atualmente as pessoas parcelam muito no cartão de crédito. Se estiverem com restrição no crédito e no cartão restará apenas a opção a vista”, comenta.

a comerciante Cleonice Aparecida Lulio Priuli  diz que “a gente sempre tem uma boa expectativa, mas esse ano está esquisito. Acredito que as vendas devam ter um up se comparadas com as vendas de meses normais que ficaram bem devagar no decorrer desse ano, mas acredito que se comparadas com as vendas do Natal do ano passado deva se comportar de modo igual”.

Monte Aprazível, segundo ela, precisa de empregos. “A gente nem tem expectativa de que sejam empresas grandes que gerem 300 a 400 empregos, mas precisa de diversas empresas pequenas que empreguem 5, 10, 15, 20 funcionários e absorva essa mão de obra disponível na cidade, assim quem sabe o comércio reaja”, comenta.

Promoção

A promoção de Natal da Associação Comercial e Industrial de Monte Aprazível (Acima) teve início ontem e se estenderá até o dia 6 de janeiro quando será realizado o sorteio de uma moto zero quilômetro.

O comércio funcionará em horário especial a partir do dia 12, quando começará a abrir das 9 às 22 horas. No dia 12 também haverá a chegada do Papai Noel no comércio local.

No sábado, dia 23, o comércio abrirá das 9 às 18 horas e na véspera do Natal abrirá das 9 às 16 horas. Ao comprar nas lojas participantes peça seu cupom.

Categorias: Economia