Desenvolvimento da cana é prejudicado com chuva em excesso

Chuva é sempre bem vinda para a agricultura, o problema é quando a precipitação acontece em excesso como nos últimos dias. De acordo com o gerente agrícola da Aplacana, João Aoki, do dia 17 de dezembro para cá choveu 500 milímetros, sendo que apenas na madrugada do último dia 6 choveu 140 milímetros.

A precipitação acima da média acaba provocando prejuízos na agricultura. Chuva em excesso acaba provocando erosões nas estradas e carreadores de um modo geral. Além disso, segundo Aoki, tempo muito nublado e chuva por longos períodos acabam por prejudicar a cana, uma vez que a fotossíntese é reduzida e a cana depende da luz solar para produzir massa e açúcar.

Outro problema apontado por Aoki é a perda de nutrientes em solo de perfil arenoso, caso da região de Monte Aprazível. “Em geral, grãos como amendoim e milho, cuja terra é tombada durante o preparo de solo, também apresentam problema de erosão”.

“Somente a pastagem é completamente beneficiada – prossegue Aoki – e a soja quando o plantio é direto, mas ela também pode sofrer danos se os dias nublados e chuvosos persistirem, porque nesse caso não será possível fazer um controle regular de pragas e poderá agravar o ataque de doenças”.

O volume excessivo de chuvas, segundo Aoki, é resultante do fenômeno La Niña, evento climático “potencializado pela formação da zona de convergência intertropical com umidade vinda da Amazônia que acentuou as chuvas nas regiões sul e sudeste”, explica.

Categorias: Agricultura