José Lourenço corrige rota e planeja o futuro da gestão em Nipoã

A diminuição no ritmo de trabalho no final de dezembro e início de janeiro, o prefeito José Lourenço, de Nipoã, trabalhou intensamente na correção de rumo na gestão da prefeitura de Nipoã “Queimei a pestana analisando o meu primeiro ano de mandato e traçando planos para a administração daqui prá frente. Um pouco por inexperiência de como funciona a prefeitura, as imposições legais, e um pouco, ou bastante pela ansiedade em resolver problemas e fazer o melhor pela população, cheguei à conclusão de que poderia ter feito diferente e vou fazer diferente no sentido de melhorar”, garantiu o prefeito.

Com base nos erros do passado, José Lourenço promete um 2018 com acerto e espera entregar a prefeitura daqui a 3 anos, com as finanças totalmente sob controle e com um elenco de realizações para mostrar. “Para recuperar a imagem da prefeitura diante dos fornecedores e recuperar o crédito, me vi obrigado a quitar quase R$ 1,5 milhão de dívidas da administração passada com os principais fornecedores sem os quais eu não tocava a prefeitura. Eu poderia ter negociado melhores condições de pagamento e prazo. Confiei na arrecadação corrente que acabou diminuindo, então tive muitas dificuldades”, lembrou José Lourenço.

O estado com que se deparou com a frota municipal “toda destruída” foi outro grande problema a administração. “Nesse caso não tive alternativa, se não arrumasse a prefeitura não andaria, mas aprendi a lição. Os veículos da frota têm que operar com muito zelo, detectado o problema, deve-se arrumar imediatamente para não agravar e encarecer os custos”, ensina o prefeito.

Os investimentos em saúde de José Lourenço, logo que assumiu, foram altos, muito acima da capacidade do município.  “Nesse caso, não tenho nada para me arrepender, para lamentar. Não existia atendimento no município, não existiam médicos, não tinha planejamento. Tivemos que fazer tudo do zero.

José Lourenço enfatiza que os problemas da prefeitura não vão deixar de existir, mas que ele está mais preparado porque planejou o que fazer. “Eu aprendi que administrar uma prefeitura é um constante desafio. O prefeito não sabe se a receita vai aumentar ou diminuir, de certeza ele sabe que alguma bomba vai estourar nas despesas. É um precatório decido na Justiça de indenização ou de uma ação que ele nem imagina que existe, é uma máquina que funde o motor, é um monte de surpresa. Mas eu entendi que tudo fica mais fácil de superar com planejamento, acompanhamento diário das despesas e contenção de gastos e estou preparado e já comecei as mudar os rumos da gestão e a população aos poucos vai sentir isso”, antecipou José Lourenço.

O prefeito pretende também manter uma relação mais proativa com os vereadores e com a população, mantendo diálogos com produtores rurais, comerciantes e trabalhadores. “Eu fui vereador e precisei de um ano como vereador para perceber a importância da Câmara como auxiliar da prefeitura. A população está muito bem representada por nossos vereadores, que demonstraram disposição para o trabalho e para ajudar. As sugestões deles são sempre bem vindas e vamos estabelecer mais canais de diálogo e colaboração com eles”, concluiu José Lourenço.

Categorias: Nipoã