Candidatura à presidência de Valcenir leva a Câmara para a oposição a Márcio Miguel

Vereador Danilo nega suposta nomeação de advogada filiada ao seu partido como garantia para a eleição

 

A eleição para a presidência da Câmara de Monte Aprazível, marcada para o dia 18 de dezembro, saiu dos trilhos e preocupa o prefeito Márcio Miguel (PP). Tudo caminhava para a normalidade da eleição de Ailto Faria (PV) como candidato da base do prefeito, até que o vereador Valcenir de Abreu (PP), do mesmo partido e primo do prefeito, anunciou sua candidatura, com o apoio do colega Danilo de Souza (PRÓS) e da oposição.

O anúncio de Valcenir foi feito na semana passada, em reunião para definir a chapa seria encabeçada por Ailto entre com os seis vereadores da base do prefeito que votaram pelo impeachment do deposto Nelson Montoro. Estavam na reunião, Ailto, Valcenir, Danilo, o presidente João Célio, Jean Winícius e Márcio Troiano.

O candidato Ailto ficou surpreso com o lançamento da candidatura adversária, mas não se indignou com a divisão ocorrida na base de sustentação do prefeito. “Eu continuo candidato e estou sensibilizado com a solidariedade e apoio do João Célio, do Jean e do Márcio Troiano que mantiveram suas posições de união da bancada da situação, demonstrando o espírito coletivo e de lealdade que ainda existe na política e que é praticada por quem tem compromisso de fazer mais e melhor por Monte Aprazível, de apoiar e ajudar o prefeito a fazer uma administração à altura de nossa população, que tanto tem sofrido nos últimos anos.”

Ailto ponderou ser direito de qualquer vereador pleitear a presidência. Já o prefeito Márcio Miguel deixa claro o seu descontentamento  e acredita que a relação entre o Executivo e o Legislativo venha a ser tumultuada com a nova configuração da Mesa diretora, podendo prejudicar a administração. “É claro que me preocupo com uma Câmara dirigida pela oposição que tem atuado de forma partidária”, sustenta o prefeito.

Motivações

Danilo de Souza, presidente do PRÓS, refuta com veemência insinuações do meio político de que seu voto em Valcenir faria parte de um acordo para a nomeação da advogada Carla Rúbio, filiada ao partido, para o cargo de livre nomeação da Câmara de assessora legislativa. “Não existe nada disso. Aliás, eu imaginava que esse tipo de conversa ia surgir, mas é uma situação que teria de enfrentar. Eu não posso deixar de tomar as decisões que acho certa por medo do que as pessoas vão inventar. A minha decisão de apoiar o Valcenir foi a defesa de uma proposta de união da Câmara, de criação de um grupo de diálogo político dentro dela e com o Executivo para o bem de Monte Aprazível, o que não está acontecendo.”

Valcenir de Abreu admite que o nome da advogada para o cargo será discutido, junto com nomes de outros profissionais, se negando a citar quais. Entretanto, ele, também,  negou que há um acordo em torno de Carla e garantiu que a nomeação para o cargo será discutida pelo grupo depois das eleições.

O candidato sustenta que sua candidatura não tem caráter pessoal ou é motivada por vaidade, mas garante ser uma manifestação política de união dos vereadores em torno do diálogo que coloque um fim no clima partidário e de campanha eleitoral, que, segundo ele se manifesta na Câmara.

“A ideia é criar um grupo de diálogo com o Executivo, com o município, trazer a população para a Câmara, para acompanhar as discussões, para entender melhor o que está sendo votado, informar melhor a população. A ideia é fazer o bem para o município.”

Valcenir está certo da legitimidade de sua candidatura, argumentando que a política experimenta um sentimento de mudança e que estando no mundo da política para o qual ingressou recentemente, passou a pensar em presidir a Casa e implantar um novo desafio no sentido de fortalecer o Legislativo para o bem do município, na visão dele.

Categorias: Monte Aprazível