Justino Alves morre em viagem de férias na Bahia, aos 67 anos

O corretor de imóveis Justino Alves faleceu por volta de da 0 hora de hoje, no hospital de Teixeira de Freitas, na Bahia, para onde foi levado depois de passar mal, em Porto Seguro, onde passava férias com a mulher Nora Neide. Justino, que tinha histórico de doença cardíaca, teria se sentido mal, levado para Teixeira de Freita, foi internado na UTI, mas não resistiu.

Justino nasceu em Monte Aprazível, de onde saiu ainda jovem para São Paulo. Retornou à cidade em meados dos anos 80 do século passado, fundando a Imobiliária Casa Branca. Ético e responsável, Tino dignificou a função de corretor e contribuiu de forma decisiva na profissionalização do mercado.

Membro da Loja Maçônica Justiça e Caridade, Justino foi provedor da Santa Casa de Monte Aprazível por quase uma década, deixando o cargo no final de 2012, substituído por Sérgio Rossetti, ligado ao prefeito Mauro Pascoalão.

Durante o período em que ficou à frente da Santa Casa, Justino não permitiu que o hospital fosse partidarizado pela política e não aceitava ingerências de prefeitos na administração.

Justino foi o último provedor do ciclo maçônico na Santa Casa e responsável pela estabilidade financeira da entidade. Hoje, depois de quatro anos caóticos financeiramente, a entidade recuperou a credibilidade financeira, circunstancialmente, dirigida por um maçon, João Roberto Camargo, mas com gestão independente da irmandade maçônica.

A sociedade monte-aprazivelense ficou chocada e surpresa com o falecimento de Justino. Era pessoa respeitadíssima na cidade pelo profissionalismo nos negócios, pela conduta ética e discrição  social, fineza e firmeza de caráter para quem a palavra emprenhada era princípio. Justino comprovou o ditado que afirma que o nome revela a pessoa: ele foi justo.

Justino tinha 67 anos e deixa a mulher Nora e o filho André e cinco irmãs.

Categorias: Monte Aprazível