Frio intenso de uma semana muda hábitos da população, ajuda comércio e atrapalha bares

O consumidor foi às compras por roupas de inverno até para pets e trabalhadores noturnos foram maltratados pelo frio

 

Os dias de frio intenso de uma semana, atípico na região nos últimos anos, modificaram a rotina das pessoas e serviram para  alavancar o comércio de roupas de inverno, tanto de humanos como de pets, expectativa que o comércio tinha desde que mudou a estação. No entanto, o frio intenso diminuiu o movimento em bares da cidade e maltratou os guarda noturnos e das pessoas em situação de risco. Na tentativa de diminuir o frio dessas pessoas, a primeira dama de Monte Aprazível, Denise Miguel, distribuiu 7 mil agasalhos e 700 mantas.

O frio “aqueceu” as vendas de roupas de inverno nas Lojas Longo em 80%. A informação é de Jessica Fachin Longo, gerente da loja. Segundo ela, o frio intenso dos últimos dias aumentou a procura por roupas de inverno na proporção esperada pelo comércio. “O aumento foi muito expressivo e a procura foi por todos os artigos de frio, como jaquetas, blusas femininas e masculinas, calças, cobertores, conjuntos infantis, meias e mantas. Vendemos de tudo para o frio”, diz.

Na Agro Pet do Muniz, o frio também aqueceu as vendas. Aparecida Perpétuo Rosa Muniz, proprietária da loja, diz o frio alavancou a venda de roupinhas, caminhas e casinhas para pets. A contramão, no entanto, foi que diminuiu em cerca de 30% a procura por banho e tosa dos animais. “No frio o pessoal se preocupa em aquecer seus pets e tem dó de dar banho”, comenta.

O frio, no entanto, prejudicou o movimento dos bares da cidade. Valmir Salvioni, proprietário do Santo Graal Cachaçaria e Petiscaria, diz que o movimento caiu razoavelmente e “isso apesar de termos um ambiente mais fechado, reservado no fundo do bar. Tivemos movimento, mas bem aquém do habitual. No frio, o pessoal prefere ficar em casa, aquecido no sofá, assistindo TV, embaixo do cobertor”.

Para atrair os clientes Valmir apostou nas porções e bebidas quentes. “Trabalhamos com a carne de porco que tem boa aceitação no frio e bebidas quentes como vinho, uísque e outros destilados. Cerveja no frio vende bem menos”, diz.

André Vinicius Fernandes, proprietário do Genneral Bar, também registrou queda no movimento. “Caiu e bastante, mas já era esperado, porque meu ambiente fechado é pequeno e a área aberta é grande”.

Para atrair os clientes ele aposta em promoções e shows musicais ao vivo. “Não há muito o que fazer, porque no frio muitas pessoas não saem de casa, mas temos promovido shows musicais e promoções de bebidas”.

O guarda noturno Rogério André Lopes diz que sofreu nesses dias de frio intenso. “Foi bem difícil. Dependendo do lugar ainda tem um quartinho para gente se abrigar, como aqui no almoxarifado municipal onde trabalho, mas na hora das rondas foi doído. Chegava a torcer o bigode”, brinca.

Ele, que se diz friorento, diz que durante os dias de frio intenso foi trabalhar usando quatro blusas e duas calças “e mais uma cobertinha que eu trouxe para me agasalhar. Além disso a noite inteira fui tomando um café quentinho para ajudar a aquecer”, conta.

Em Monte Aprazível, a prefeitura intensificou os serviços para atender as pessoas necessitadas. A primeira dama do município, Denise Miguel, diz que através da campanha do agasalho, realizada em parceria com o Fundo Social, Sabesp e Polícia Militar, distribuiu cerca de 7 mil agasalhos, entre roupas e calçados. A entrega foi feita nos dias 27 e 28 de junho.

Além disso, foi realizada uma campanha do Fundo Social com a Assistência Social do município (CRAS) que adquiriu 700 mantas, que foram distribuídas para as famílias necessitadas cadastradas no CRAS, para as pastorais, para os acamados e para os moradores de rua.

Categorias: Geral