Outubro Rosa vai elevar o prejuízo da Santa Casa de Monte Aprazível com exames de mama

João Roberto Camargo, provedor do hospital, conta com repasse da devolução do duodécimo da Câmara para cobrir prejuízo

 

As mulheres se anteciparam ao Outubro Rosa. Em setembro, a cota SUS de mamografias na Santa Casa de Monte Aprazível extrapolou em oito exames e a demanda em outubro será muito maior, com a campanha nacional que é lançada todos os anos. Para o provedor da instituição, João Roberto Camargo, do ponto de vista da saúde é um sucesso a ser comemorado de forma entusiasmada “porque o diagnóstico precoce salva vidas”, mas é um veneno para as finanças do hospital.

Segundo Camargo, as oitenta mamografias contratadas geram um prejuízo mensal de R$ 9 mil e a Santa Casa não recebe nada do SUS dos exames feitos além da conta, onerando ainda mais as contas do hospital. “O prejuízo é grande ficando dentro da cota e aumenta com as extras, mas não tem como não atender. É uma crueldade de que não sou capaz, prefiro renunciar ao cargo a mandar uma mulher voltar no mês seguinte porque estourou a cota, mesmo sabendo que o dinheiro vai me fazer falta para pagar o décimo terceiro dos funcionários.”, reflete Camargo

A soma do prejuízo mensal dos oitenta exames e mais as fora da cota atingem quase R$ 130  mil, quantia que Camargo diz precisar para quitar integralmente o décimo terceiro, já que o leilão de gado, organizado para este fim rendeu em torno de R$ 100  mil.

Camargo percebeu o rombo das mamografias ainda no início do ano e tentou se socorrer com o presidente da Câmara, Valcenir de Abreu que, inicialmente, concordou em repassar  os R$ 9 mil mensais para a entidade, Mais tarde, Valcenir alegou impedimento legal para o repasse e voltou atrás.

Depois de tentar a prefeitura, sem sucesso, “para não suspender o serviço e deixar as mulheres sem atendimento, a diretoria resolveu assumir o prejuízo”, conta Camargo

Camargo presidiu a Câmara de 2013 a 2014, repassando mensalmente no período R$ 35 mil, através da prefeitura, para  o hospital, sem que suas contas fossem , questionadas.

Segundo Camargo ficou acordado que, ao fim do exercício, a prefeitura cobriria o prejuízo com o dinheiro a ser devolvido pela Câmara das sobras do duodécimo. Valcenir confirma o entendimento e adiantou que as sobras de caixa da Câmara, até setembro, somam R$ 600 mil. “A Câmara vai devolver tudo o que sobrar e o prefeito vai aplicar o recurso como quiser”.

Questionada sobre o entendimento de repasse de parte das sobras de caixa da Câmara para o hospital, a prefeitura de Monte Aprazível não se manifestou.

Outubro Rosa

As atividades da campanha Outubro Rosa começaram no último dia 8 em Monte Aprazível. Várias ações organizadas pela prefeitura têm sido realizadas durante todo o mês como exames de mamografia, coleta de Papanicolau, testes para verificação de pressão arterial e glicemia e palestras educativas.

De acordo com a enfermeira Élida Curtulo, as atividades  tiveram início na Unidade Básica de Saúde Orlando Polotto, no bairro Cidade Jardim, com a realização de 19 exames de Papanicolau, 21 testes de pressão arterial e glicemia e 20 solicitações de mamografia.

Na última terça-feira, 15, foi a vez da unidade de saúde Everaldo Alves Nazareth, no bairro Jardim do Lago, onde os procedimentos se repetiram, o mesmo acontecendo, no dia 17, na unidade João Duarte Monteiro, no bairro Vila Aparecida. Os procedimentos e mais palestra estão agendados para o dia 23, na unidade do distrito de Itaiúba.

Élida orienta as mulheres que compareçam nas unidades de saúde com documentos pessoais, cartão SUS e comprovante de residência.

Categorias: Monte Aprazível