Calor marcante impulsiona os negócios de verão e lazer

O ano tem se revelado de pouca chuva, já estamos em dezembro e as primeiras pancadas tem sido tímidas e esparsas, prenunciando mais dias de sol sem que o verão, oficialmente, só chega em três semanas. Nesse cenários, os dias quentes tem aquecido o movimento em sorveterias, lojas de circuladores e ar condicionado e piscinas dos clubes da região.
“Sorveteria é sazonal”, diz Evandro Alves, da sorveteria do Nego, “mas calor e férias aumentam o movimento em cerca de 50%. O movimento a partir de outubro começou a melhorar e está dentro do esperado para a época com a intensificação do calor, somado as férias escolares, aumenta ainda mais. Nas férias, a presença de jovens na sorveteria aumenta muito”.
Luis Alberto Andreto, da sorveteria Zero Grau, diz que o calor aumenta as vendas, mas a chuva atrapalha o movimento. “A chuva espanta o público”, diz. As vendas, segundo ele, melhoraram, mas ainda não se igualaram a anos anteriores. “Mas a expectativa é de que melhore ainda mais com a proximidade do final do ano e das férias escolares. Os dias entre o Natal e o Ano Novo costumam ser melhores até que as férias, aumenta o movimento em 40%”.
Juliana Leite, da Mont Clima Elétrica e Climatização, diz que outubro foi um mês “bem corrido. As vendas deram um salto, novembro já está mais calmo um pouco, mas é grande a procura por climatizadores móveis e fixos e por aparelhos de ar condicionado. A procura esse ano foi maior do que a registrada no ano passado”.
Os preços segundo ela, tiveram um aumento. “Subiram em média 15% porque o preço acompanha o dólar, mesmo assim a procura tem sido grande em razão do forte calor”, diz.
A expectativa para o alto verão, segundo ela, é de “vender mais, apesar que os modelos mais baratos de ar condicionado já estão em falta. Não tem previsão para chegar”, diz.
A movimentação nos clubes em dias de calor é intensa. Renato Alves de Paula, presidente do Irecê Aprazível Clube, diz que a frequência aumenta em 40%, “principalmente nos sábados e domingos e nas férias escolares então a frequência aumenta para 60% a 70% e a procura é grande por todas as atividades, piscinas, campo, quiosques, quadras e no bar. No calor, o pessoal utiliza muito o clube”, diz.
Marina Crespijo Avellar, dirigente do CPP de Monte Aprazível, diz que a frequência de sócios aumenta muito no verão, “principalmente daqueles que pouco iam ao clube. Depois que começou esse calorão a frequência do clube aumentou em 70%. A procura maior é pelas piscinas, onde o pessoal se refresca, mas o pessoal pesca, faz pick-nick e durante as férias escolares então o movimento salta para 90%”, encerra.

Categorias: Economia