Saúde de Monte suspende eletivas e mobiliza pessoal para Covid, dengue e emergência

Determinação do assessor, inclui, dentistas; Santa Casa consegue 2 leitos com ventilação pulmonar

 

O assessor municipal de saúde de Monte Aprazível, Luiz Nassibo Sidinani confia na estratégia de guerra que montou para enfrentar o coronavírus, o inimigo desconhecido, sem relaxar no combate a outro vilão de todos os anos, a dengue. Nassibo determinou a suspensão parcial do atendimento eletivo (consultas de retorno e tratamento em andamento), que passa a ser feito por paramédicos, seguindo a terapia do prontuário de cada paciente. A medida, segundo ele, foi tomada, neste momento de grande incerteza sobre a evolução dos casos e gravidade dos pacientes contaminados pelo vírus, para que todos os médicos estejam disponíveis para os casos de urgência e emergência diversas e dos infectados pelo Covid 19. No entanto, rotina das eletivas de gestantes e pediatria não foi alterada, mas os dentistas, se necessário, estarão escalados para atender nos PSFs.

Dentro de suas limitações e competência, a Santa Casa, segundo seu provedor João Roberto Camargo, está preparada para o atendimento ambulatorial do coronavírus e foi além: preparou quatro quartos nos moldes de UTI, dois deles, com aparelho de ventilação pulmonar, fundamental nos casos de maior gravidade.

De acordo com Nassibo, todas as ações, medidas adotadas e orientação do pessoal da área foram e serão tomadas no município seguindo as orientações do Ministério e Secretaria Estadual de Saúde.
Monte Aprazível tem uma caso suspeito do Covid 19, uma mulher de 53 anos e o município a está monitorando em isolamento domiciliar. A paciente já apresentou melhoras clínicas antes mesmo da conclusão do teste de confirmação da contaminação.

Foi definido o Hospital de Base de Rio Preto como o serviço de referência para o acolhimento de eventuais casos mais graves do coronavírus.

O município, segundo Luiz Carlos Sidinani, assessor municipal da Saúde, já preparou suas equipes, estrutura e profissionais para atender aos requisitos de atendimento, encaminhamento e acompanhamento dos pacientes.

Luiz diz que o município tem estrutura para analisar casos suspeitos, fazer a coleta de material e encaminhar para análise. “Casos suspeitos são mantidos em quarentena em casa e a enfermeira responsável pela área do paciente faz a visita domiciliar, analisa o quadro. Tudo realizado de acordo com o protocolo preconizado pelo Ministério da Saúde. Se houver pacientes em estado mais grave serão encaminhados ao Hospital de Base de Rio Preto, que é nossa referência de hospital para pacientes graves de coronavírus”, diz.

Luiz diz ainda que os funcionários da saúde estão trabalhando normalmente, tendo sido dispensados aqueles com mais de 60 anos e com doenças crônicas.

A preocupação segundo está concentrada no coronavírus, pois a intensidade da circulação da dengue neste ano tem sido menor, com pouca carga sobre os serviços de combate ao mosquito e atendimento. “Estamos concentrando esforços no coronavírus. A dengue está controlada no município. Tivemos poucos casos e a tendência com a diminuição das chuvas é de queda no número casos, mas dividimos os funcionários de forma que os agentes de saúde estão trabalhando no coronavírus e os agentes de vetores continuam trabalhando no combate à dengue. Quanto ao coronavírus estamos trabalhando conforme orientações do Ministério da Saúde e Secretaria Estadual da Saúde”, salienta.

Santa Casa

A equipe da Santa Casa de Misericórdia de Monte Aprazível também está preparada para atender casos suspeitos de coronavírus, segundo informou o provedor João Roberto Camargo. Ele diz que todos os funcionários e corpo clínico estão seguindo as normas preconizadas pelo Ministério da Saúde e que o protocolo manda em casos suspeitos colocar o paciente em isolamento até que o material seja colhido. Feito isso manda para casa onde permanecerá em quarentena até que seja divulgado o resultado do exame.

“Só fica no hospital casos mais graves” e para estes Camargo diz que separou quatro leitos numa espécie de semi UTI, equipada com dois aparelhos de ventilação pulmonar. “A equipe da Santa Casa está preparada para receber os casos dentro da nossa limitação e capacidade. Casos mais graves são transferidos para o Hospital de Base de Rio Preto, que é nosso hospital de referência para casos graves do coronavírus”, conclui.

Categorias: Saúde