Esclareça dúvidas sobre a Covid 19 e formas de prevenção

A Voz Regional fez um apanhado de situações e dúvidas corriqueiras e o comportamento a ser adotado, com base em orientações tornadas públicas por especialistas

 

Sintomas da doença
Os mais comuns são febres, cansaço, tosse seca ou com catarro; eventualmente dor no corpo, congestão nasal, coriza, dor de garganta, diarreia. A falta de ar progressiva é sinal de infecção grave e indica necessidade de procurar médico. Tosse mais intensa, com catarro e pus, febre alta e calafrios, pontas dos dedos e lábios arroxeados tem que ser hospitalizado.

Tratamento
Nos casos leves o paciente deve fazer uso de antigripais (dipirona e paracetamol, este evitado por portadores de disfunções hepáticas e renais), estando isolado em um cômodo da casa. Os demais moradores também ficam em quarentena.

Nos casos leves os sintomas desaparecem em alguns dias, como em casos de gripe ou resfriado. Não há remédio que combata o vírus e seus efeitos. Drogas específicas para outras doenças podem provocar efeitos colaterais graves e ocasionar desabastecimento pondo em risco a vida de pacientes que de fato precisam delas.

Isolamento e alto risco
O isolamento tem por principais objetivos proteger as pessoas que estão no grupo de risco e evitar a propagação muito rápida da doença, com muitos doentes ao mesmo tempo, provocando o colapso do sistema de saúde, aumentando o número de mortos e de infecção do pessoal da saúde.

O nível de infestação da doença só baixa quando mais da metade da população for infectada e adquirir imunidade. Mas, essa marca precisa ser atingida de forma lenta, na medida da capacidade de atendimento do sistema de saúde.

Por isso, quem pode deve ficar em quarenta. Precisam dela os maiores de sessenta anos, “de mamando a caducando” quem estiver em tratamento de câncer, diabéticos, cardíacos, portadores de doenças respiratórias, reumatológicas, autoimunes, transplantados, HIV e outras morbidades crônicas. Por humanidade e solidariedade, devem se isolar os portadores do vírus.

Os portadores de doenças crônicas em isolamento devem manter o tratamento e comparecer às consultas e exames agendados ou consultar o médico sobre o adiamento.

Isolamento do doente
A pessoa com o vírus deve se manter em isolamento, se possível, sem contato com os demais moradores, que devem, também, praticar a quarentena de 14 dias. O paciente deve ficar em quarto arejado, mantendo-se janelas abertas o maior tempo possível.

Deve se promover a higienização diária do quarto, de toda a casa, de espaços e superfícies da moradia. Para a higienização, água e sabão são suficientes e mais em conta.

Sendo possível, é importante que eventual morador do grupo de risco, se aloje em casa de parentes.

Na China, foram detectadas partículas do vírus em cocô, sendo essa uma possível forma secundária de contaminação. Após o uso do banheiro, pelo doente e pelos moradores sãos, dar descarga com a tampa do vaso abaixada e higienizar as louças e registros.

Vacina da gripe
A campanha de vacinação contra gripe está em andamento para o pessoal da saúde e maiores de sessenta anos até o dia 15. A vacinação gratuita prevê a imunização de outras faixas etárias, de outros profissionais, indígenas e população carcerária. A vacina pode também ser adquirida na rede de medicina privada.

Ela imuniza contra os três vírus gripais de maior circulação no país, não tendo nenhuma relação com o coronavírus. No entanto, recebê-la é de fundamental importância para a prevenção do agravamento de doenças respiratórias e para facilitar no diagnóstico do coronavírus.

Prevenção e higiene
Fazer a higienização das mãos constantemente, evitar tocar superfícies de espaços públicos e de trabalho e de uso comum em moradias, como corrimões, maçanetas, interfones de portaria; desinfetar objetos de uso comum, manter distância mínima de 1,5 metros, evitar aglomeração; fazer de lenço de papel para tossir, respirar e limpar o nariz.

Ao chegar da rua, deixar calçado fora de casa, tirar a roupa e colocar no cesto ou saco plástico para a lavagem, tomar banho, lavando os cabelos. O homem que usa barba, deve mantê-la aparada e toda vez que higienizar mãos e rosto, higieniza-a também.

O vírus não resiste ao cozimento de alimentos. Frutas e verduras devem ser higienizadas com hipoclorito de sódio, seguindo orientações do fabricante. Vinagre e água sanitária comum são de baixa eficácia contra o Covid 19.

Água e sabão são os mais eficazes e os mais baratos dos higienizadores. Álcool comum ou em gel são eficazes, desde que com gradação entre 60 e 72 graus.

O vírus não sobrevive na água de piscina, devidamente tratada, sendo uma opção para passar o tempo de isolamento residencial. Porém, deve se ter em conta evitar o contato pessoal, mantendo distância e aglomeração, valer dizer não convidar os vizinhos.

O uso de máscara
A máscara serve para doentes e quem cuida deles. Não tem serventia para quem está são. A máscara impede que o doente lance o vírus no ambiente e em pessoas. Olhos e ferimentos são portas de entrada para o vírus.

Não gaste dinheiro com máscaras caseiras. O pano comum não tem eficácia. A única recomendada é a cirúrgica N95, não reutilizável.

Cuidados com pet
A transmissão do vírus só se dá entre humanos. Não há cuidados especiais no relacionamento com animais domésticos, além dos já preconizados no conceito de posse responsável.

Ar condicionado
Aparelhos de ar condicionado residenciais, comerciais e de veículos não são capazes de filtrar as partículas do vírus e devem ser mantidos desligados. Os ambientes internos devem ser arejados, permanecendo com portas e janelas abertas o maior tempo possível.

Vacina e remédio
Inúmeros medicamentos existentes estão sendo testados no mundo todo para descobrir eventual eficácia contra o coronavírus. A cloroquina é um deles. A divulgação de sua suposta eficácia provocou uma corrida às farmácias. Sem remédio para comprar, portadores de lúpus e malárias correm risco de vida, risco que também correm, pelos efeitos colaterais do uso indiscriminado, as pessoas saudáveis que o.

Laboratórios do mundo todo pesquisam a possibilidade de uma vacina. Mesmo sendo possível hoje, tal vacina só estará disponível em meados de 202 compraram 1. Até lá, é lidar com aquilo que se tem à mão, os analgésicos e antitérmicos, evitando correr riscos com receitas mirabolantes de curiosos nas redes sociais.

Obrigações universais
Lavar as mãos. Ficar em casa.

Categorias: Saúde