Números de eleitores e votos válidos serão reduzidos

Os números do recadastramento biométrico de eleitores, em Monte e Tanabi apontam para redução do Colégio Eleitoral nas duas cidades, em relação à eleição de 2016.

O recadastramento eleitoral estava previsto para terminar em 5 de maio, mas o trabalho foi suspenso em março, com a decretação do isolamento social como medida de contenção da disseminação do coronavírus.

Apesar da liberação do direito de votar para quem não se recadastrou, não existe certeza do número total de eleitores nos municípios.

Pelos números do recadastramento, Tanabi tinha, no último dia 25, 17.619 eleitores revisados de 20.660 eleitores cadastrados. Não é possível saber, hoje, se a diferença, 3.041, não se recadastrou por esquecimento, por convicção em não votar, por não morar mais na cidade, ou se mora em outro lugar, com título da cidade.

O mesmo vale para Monte Aprazível que tem hoje 15.957 eleitores revisados e 17.804 inscritos.

O tamanho do colégio eleitoral sempre serviu de parâmetro para estimar o coeficiente eleitoral, que estipula a quantidade de votos necessários para o partido eleger vereadores. O coeficiente eleitoral é determinado pelo número de votos válidos (descontados ausências, nulos e brancos) pelo número de cadeiras.

Até as eleições de 2018, era usual que os votos válidos fossem em torno de mais ou menos 75% dos votos totais. Neste ano, quando sequer se tem os números dos votos totais, mais difícil é a previsão sobre quantos devem votar, em tempos de pandemia, associada ao desgoverno e aberrações do bolsonarismo e crise econômica sem precedentes.

A eleição para as onze cadeiras da Câmara de Tanabi será disputada por 13 partidos; em Monte, serão 11 legendas para nove vagas. O partido que não atingir o coeficiente eleitoral não terá direito à vaga, mesmo que um de seus candidatos tenha sido o mais votados entre todos os candidatos de todos os partidos.

Em 2016, o coeficiente eleitoral em Monte Aprazível foi de 1.424 votos. Em Tanabi, foi de 1.363.

É esperado que esse número baixe, facilitando a vida dos pequenos partidos, mas dificilmente vá aumentar a representatividade partidária. Hoje, oito partidos ocupam as onze vagas em Tanabi e cinco as nove de Monte Aprazível.

Categorias: Política